O Leitor, Bernhard Schlink

19 março 2009

Editora: Asa
Páginas: 144

Categoria: Romance


"Michael Berg, um adolescente nos anos 60, é iniciado no amor por Hanna Schmitz, uma mulher madura, bela, sensual e autoritária. Ele tem 15 anos, ela 36. Os seus encontros decorrem como um ritual: primeiro banham-se, depois ele lê, ela escuta, e finalmente fazem amor. Este período de felicidade incerta tem um fim abrupto quando Hanna desaparece de repente da vida de Michael. Michael só a encontrará muitos anos mais tarde, envolvida num processo de acusação a ex-guardas dos campos de concentração nazis. Inicia-se então uma reflexão metódica e dolorosa sobre a legitimidade de uma geração, a braços com a vergonha, julgar a geração anterior, responsável por vários crimes.
Perturbadora meditação sobre os destinos da Alemanha, O Leitor, é desde O Perfume, o romance alemão mais aplaudido nacional e internacionalmente. Já traduzido em 39 línguas, a obra está a ser adaptada ao cinema. Para além disso, este romance foi galardoado em 1997 com os prémios Grinzane Cavour, Hans Fallada e Laure Bataillon. Em 1999 venceu o Prémio de Literatura do Die Welt."

Uma história que começa bonita, mas sempre ensombrada por duas palavras que são recorrentes ao longo do livro: culpa e embotamento. E estas aplicam-se à geração do 3º Reich e pós-3º Reich, simbolizadas na relação das duas personagens centrais, Michael e Hannah, uma relação ao mesmo tempo terna, mas carregada de culpa, de frieza e do tal embotamento, do saber que algo está lá, que algo está errado, mas não se saber se se quer tomar "oficialmente" consciência disso. E mesmo perante a dita "verdade", nem tudo é preto ou branco...

Um livro belo e perturbador que convida à reflexão sobre a sociedade alemã da época, através da história de uma paixão improvável, que vai intercalando entre a inocência e a vergonha, de parte a parte.

"Durante muito tempo, pensei que era uma história muito triste. Não que agora pense que seja alegre. Mas penso que é verdadeira; por isso, a questão de saber se é triste ou alegre não tem nenhuma importância."

Eu diria mais, é um belíssimo livro sem que tenha uma história feliz.

4 comentários:

Paula disse...

Adorei ler este livro de Bernhard Schlink.

Lili disse...

hummmm eu quero muito ler essa história. E o seu comentário só aguçou ainda mais minha vontade em lê-lo.

Obrigada
Bjs

flicka disse...

Este livro é teu? será que me podias emprestar? ;-)
Começei a ler "as esquinas do tempo" e és a próxima da lista. E tenho também o livro do Tom Cruise para te passar.
Jokitas

Migalhas disse...

Obrigada pela visita, meninas. É realmente um livrinho pequeno, mas cheio de conteúdo, gostei muito.
Flicka, mandei-te mail. Infelizmente (ou não), tudo o que tenho lido ultimamente são empréstimos, caso contrário emprestar-to-ia de bom grado :)*

Enviar um comentário

Blog contents © BiblioMigalhas 2010. Blogger Theme by Nymphont.