Troca de Identidades, famílias Van Ryn e Cerak com Mark Tabb

03 abril 2009

Editora: Quinta Essência
Páginas: 230
Categoria:
Memórias

"Duas famílias, uma única sobrevivente, o fim e o renascer da esperança.

Laura Van Ryn e Whitney Cerak, duas jovens universitárias, foram vítimas de um trágico acidente de viação. Uma foi sepultada sob o nome errado, a outra ficou em estado de coma e a ser tratada por uma família que não era a sua. Troca de Identidades é uma história sem precedentes de duas famílias traumatizadas , que, ao descreverem a bizarra provação a que foram sujeitas, descobrem o laço que as une enquanto enfrentam a reviravolta de uma vida perdida e de uma vida redescoberta. Enquanto as famílias tentam lidar da melhor forma com a chocante revelação, Whitney Cerak, a única sobrevivente, luta por um novo começo. Troca de Identidades tece uma envolvente narrativa de perda, esperança, fé e amor perante uma das mais estranhas ironias do destino que se possa imaginar e celebra as dádivas e os mistérios insondáveis da vida."

Soube pela primeira vez desta história por acaso, enquanto estava a fazer "zapping" e parei no programa da Oprah Winfrey. Fiquei agarrada e comovida pelo relato daquelas duas famílias que tiveram de enfrentar uma tragédia familiar, mas com a mesma admirável fé.

Ao ler este livro ainda mais impressionada fiquei com a fé e a união destas duas famílias, primeiro individualmente, a tentarem lidar, os Van Ryn, com a dolorosa e lenta recuperação de "Laura", e os Cerak, com a perda de Whitney de forma tão trágica, e depois juntos na alegria de uns que era a tristeza de outros, mas que resultou numa fé reforçada.

Há muitas passagens comoventes e acompanhamos a dor interior e exterior e os "diálogos" com Deus destes pais e irmãs, irmãos, namorados e amigos. Mas não é um livro que nos faz chorar de fio a pavio, antes pelo contrário, leva-nos a ter esperança e a aspirar ter tamanha clareza de espírito e fé em tantas outras situações tão "menores" da nossa vida.

Achei comovente como as duas famílias reagiram e assimilaram a realidade dos factos finais. Achei admirável o comportamento da irmã de Laura Van Ryn, Lisa. Comoventes também as cartas de Aryn à sua quase noiva Laura. Comovente o reencontro de Whitney com Hunter (o pormenor de chamar Hunter a Aryn é tocante, o amor assume tantas formas... quem ler perceberá porquê).

É uma história trágica, real, mas acima de tudo de perdão, fé, aceitação, união e muito, muito amor e esperança.

Gostei particularmente do último capítulo em que é a própria Whitney que se dirige ao leitor com uma clareza de espírito duramente conquistada e que deixa transparecer a luta que teve e terá de enfrentar para lidar com as sequelas físicas e emocionais de ter sobrevivido ao acidente e da consequente troca de identidades.


"...leu-me uma passagem do Antigo Testamento, Primeiro Livro dos Reis. (...) Elias vai para o deserto para falar com Deus. Está à Sua espera quando ouve uma tempestade de vento gigantesca que é tão forte que arranca os rochedos. Mas Deus não está na tempestade de vento. Depois há um terramoto, mas Deus não está no terramoto. A seguir, há um incêndio, mas Deus não está no incêndio. Por fim, ouve um suave murmúrio e percebe que é Deus. (...) Percebi que em vez de pensar que a minha vida tinha de ser uma enorme tempestade de vento ou um terramoto, para Deus, talvez tivesse apenas de O deixar murmurar suavemente na minha vida. Essa passagem fez-me perceber que não tenho de realizar nada de gigantesco. (...) Demorou algum tempo, mas finalmente percebi que o propósito de Deus para mim é deixá-Lo fazer o que quiser da minha vida, modesto ou grandioso."
O blog de que fala o livro, dedicado pela família a Laura Van Ryn, pelo que percebi foi encerrado...

2 comentários:

Ferncarvalho disse...

Embora tenh lido a tua opinião só por alto (pois tb vou ler este livrito) já percebi que escolhi bem.
:)
Beijocas

flicka disse...

Esta já é a segunda opinião que li, também bastante positiva! Vou, então, comprá-lo na próxima ida à feira do livro que está quase! ;-)
Eu confio nos livros recomendados pela Ophray. Fiquei com pena por não ter visto este encontro de duas familias no programa, mas vi a entrevista à autora do livro "Comer, Orar e Amar" e fiquei encantada, a autora transmitia uma Luz incrivel!! Foi por isso que comprei o livro mas ainda não o li. :-/ São os montes de livros que cá tenho que me complicam, enfim! :D
:)*

Enviar um comentário

Blog contents © BiblioMigalhas 2010. Blogger Theme by Nymphont.